Ahhh… a Vesperata!


Depois de um mês sem postar, devido a motivos maiores mas nada graves, voltei com um evento lindo e inesquecível que acontece em Diamantina/MG. Errou e passou longe quem falou que é o carnaval. Pois é, gente… há quem ache que em Diamantina só rola o carnaval, famoso no Brasil inteiro. Estão redondamente enganados. Já ouviram falar em Vesperata? A foto mostra exatamente como a cidade fica cheia e ainda mais encantadora nos finais de semana em que ocorrem as Vesperatas. Vou explicar melhor do que se trata.
A Vesperata é um evento cultural típico da cidade de Diamantina, que surgiu no final do século XIX, e acontece entre os meses de Março e Outubro, com duas vezes mensais. Pode ser definida, basicamente, como uma serenata ao contrário. Ao invés de os músicos ficarem embaixo tocando para alguém que se encontre na janela ou sacada, o público fica na rua, enquanto que os músicos tocam nas sacadas das belas casas ao estilo barroco, que por sinal dão muito charme à cidade e ao próprio evento. A banda é composta por vários músicos, e cada um deles ocupa uma sacada das casas pertencentes à Rua da Quitanda, centro histórico de Diamantina. Eles tocam músicas brasileiras antigas que animam o público, dando um clima de nostalgia e boas recordações para quem assiste. Uma das músicas tocadas e mais aclamadas pelo público é “Como pode um peixe vivo viver fora da água fria”, de Milton Nascimento, música preferida do diamantinense, ex-presidente da República, Juscelino Kubitschek. Durante as apresentãções, regidas alternadamente por dois maestros, o público fica de pé e vibra ao início e ao término de cada música. Não é pra menos, já que, vista de perto, a Vesperata é de encher os olhos de cada um que está presente.
A cidade sempre fica mais cheia nos finais de semana em que acontecem as Vesperatas. É de costume vir gente do Brasil inteiro acompanhar o evento, não sobrando, portanto, mutas opções de vagas em pousadas e hotéis. Na Rua da Quitanda, onde acontece, é separado um espaço com mesas para quem faz suas reservas (bem)antecipadamente. É comum, por exemplo, em Maio já terem se esgotado lugares para a Vesperata de Agosto. Para quem gosta de conforto, então, sugiro que reserve seu lugar e encontre uma pousada com um bom tempo de antecedência. Mas para quem não conseguir, fica a opção de assistir em pé mesmo, do lado de fora da área selecionada, o que também dá para ver perfeitamente.
O público que costuma acompanhar a Vesperata é bem variado. Pode-se encontrar desde crianças, até senhores e senhoras de idades mais avançadas. Não vou mentir que 80% dese público é sim de uma faixa etária acima de 50 anos, o que não signifique que crianças e jovens não vão gostar. A Vesperata é um evento lindo, que com certeza enriquece o acervo pessoal de todos que assistem.
Vá em Diamantina conhecer essa tradição tão bonita e antiga da cidade, no meio de tantas casas em estilo barroco, luzes e muita música brasileira, tocada de uma forma para se jamais esquecer.

robertavonzastrow@gmail.com >> Vou adorar saber da história da sua viagem inesquecível. Me envie. Aqui, ela ganha espaço!
Até a próxima postagem, que não vai demorar tanto quanto essa! Prometo!
^^

Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

2 respostas para Ahhh… a Vesperata!

  1. Sandra Santos disse:

    Oi Roberta,Como sempre, adoro passar por aqui. Continue postando!Um beijo,Sandra

  2. Fiquei muito feliz com seu comentário, Sandra querida! Bom saber que tenho apoio assim!!Beijos :*

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s