Passeio de Dromedário


Não sei se é por eu simplesmente AMAR a trilogia do filme A Múmia, ou se é pelo fato de ser diferente e exótico, mas o fato é que sempre quis andar de Dromedário, ou Camelo (pra mim os dois eram a mesma coisa, mas não é! Descobri que o Dromedário tem uma corcova, enquanto que o Camelo tem duas! Grande diferença, né?). Nunca gostei de andar de cavalo, pôneis ou nada do tipo, mas de Dromedário/Camelo eu sempre quis! Vendo o ator Brendan Fraser “cavalgando” em um, passa a sensação de ser agradável, então nasceu daí a vontade.
Em uma outra ocasião, quando estava lendo a revista Caras na casa da minha avó, vi a Xuxa em cima de um Dromedário, lá em Natal, no Rio Grande do Norte. Foi quando eu pensei: “Uai… pra mim esse bicho só existia do outro lado do Oceano Atlântico!”. É… estava mais perto do que eu imaginava!
Aí vem as férias de Janeiro, e para onde eu vou curtir o recesso? Exatamente… Natal/RN. Já saí daqui de Belo Horizonte com a idéia fixa de andar de Dromedário, finalmente! Era a minha única chance já que, quando eu fosse escolher um pacote para viajar internacionalmente, o Marrocos e Egito não estariam no topo da lista. Quem sabe um dia, mas por enquanto…
No hotel em que nos hospedamos, procurei me informar a respeito desse passeio. Me disseram que teríamos que fazer um tour pelo Litoral Norte, onde ficam os Dromedários. Fui toda alegre!
Chegando lá, fiquei muito empolgada ao ver os animais tão de perto. Eu sei que dá para vê-los no zoológico, e eles nem tem tanta graça assim, mas o que eu achei legal, foi que lá realmente tem um clima de deserto. Para quem não sabe, a novela Global “O Clone” foi gravada lá. Alguém fala que é no Brasil? Acho que não! Além do mais, para fazer o passeio, colocamos turbantes na cabeça, bem como o povo Árabe e bem como manda o figurino!
Bom, não vou mentir. Os Dromedários, e possivelmente os Camelos também, fedem. O cheiro não é muito bom, mas logo no início já dá para acostumar! Tanto na hora de ele levantar, quanto na hora de sentar novamente, dá um frio enorme na barriga. Ele levanta primeiro as patas dianteiras, dando a terrível sensação de quase capotar na areia quente! O passeio dura em torno de 20 minutos, e o Dromedário anda bem devagar, fazendo um movimento para frente e para trás que chega até a dar sono! A vista durante o passeio é simplesmente maravilhosa, e a sensação que se tem é realmente que se está no meio do deserto do Saara!
Aposto que pela descrição muita gente não vai achar que é uma chatisse e que não vale à pena. Ahhh mas eu acho que vale! É a típica coisa que é raro ter a chance de fazer, pois aqui no Brasil, é só la no Rio Grande do Norte que se tem a chance de passear de Dromedário. Senão, só do outro lado do Atlântico.
Então, aí vai a dica! Se surgir oportunidade, andem de Dromedário! É diferente e muito interessante! E os animais são súper dóceis! São um pouco preguiçosos também, já que o nosso custou a querer levantar, e ainda reclamou quando o guia o puchou! Mas vamos dar um crédito pra ele, né? Não é uma vida fácil!
Na foto, estamos eu e minha irmã, quase nos passando por duas árabes branquelas! Dá para confundir, eu sei!

robertavonzastrow@gmail.com >> Espero suas histórias e curiosidades!

Até a próxima!

Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s